Técnica ultravioleta revela a cor de antigas estátuas Gregas, o resultado é incrível

Desde os tempos antigos, a arte está presente na vida dos seres humanos, já nos primórdios da Terra os nossos ancestrais iniciavam uma forma primitiva de arte nas paredes, desde então, o ser humano vem aperfeiçoando técnicas para cada vez mais criar obras de artes ainda mais belas.

Uma forma de arte que ficou muito famosa nos tempos em que a Grécia antiga era a maior potência do mundo era as esculturas. Segundo o jornalista Matthew Gurewitschm, da revista Smithsonian, "para nós,  a antiguidade clássica significa mármore branco" e, de fato, quando pensamos em museus, logo vem a nossa mente estátuas gregas, porém, segundo o estudioso, para os gregos não era bem assim, pois os gregos pensavam que os deuses vivos deveriam ser retratados assim como seus templos que sempre eram rodeados de cores e cenários poderosos.

As estátuas possuem essa cor de mármore branco por causa do tempo que tirou boa parte das cores das estátuas. Mas existem hoje em dia, várias formas de se descobrir a cor de um objeto antigo, uma das formas mais usadas é a luz ultravioleta e espectroscopia de raios-x e infravermelho.

O vídeo abaixo retrata bem como é feito o processo:


Isso tudo só é possível graças ao arqueólogo alemão Vinzenz Brinkman, que utiliza lâmpadas de aflauta intensidade, luz ultravioleta, câmeras, moldes de gesso e potes de caros minerais de pó. Ele passou um quarto de século revivendo a glória da antiga Grécia. Ele cria cópias das estátuas de mármore em uma escala muito parecida, então ele as pinta com as próprias mãos, utilizando os mesmos pigmentos minerais e orgânicos usados pelos gregos antigos: verde malaquita, azul de azurita, amarelo e ocre de compostos de arsênico, vermelho de cinábrio, preto de osso queimado e videira.

Veja só alguns das esculturas que ele conseguiu recriar com as cores totalmente fiéis: